Inovar e apostar na tecnologia nunca foi tão importante como agora. Em tempos de pandemia, o distanciamento social é uma das poucas medidas eficazes para evitar a disseminação do novo coronavírus. Tivemos, portanto, que nos adaptar. Todos nós. Há algum tempo, o mundo acompanha o crescimento das atividades digitais, como solicitar um transporte individual ou pedir comida por aplicativos. No entanto, com o surto, muitas coisas que estávamos acostumados a fazer presencialmente, passamos forçadamente a realizar por meio de ferramentas online também, como reuniões de trabalho e transmissão de aulas.

No Eniac, tenho orgulho de dizer que a nossa equipe se adaptou rapidamente e de maneira exemplar, já que a tecnologia sempre esteve em nosso DNA. Conseguimos transformar nossas rotinas e mantivemos todas as atividades – incluindo avaliações -, mesmo que a distância. Nem nossos alunos deficientes auditivos ficaram sem acesso às aulas, graças ao trabalho excepcional das nossas professoras e intérpretes.

Porém, apesar de todos os nossos esforços, vivemos em um país bastante desigual. Nem todos os estudantes possuem uma conexão à internet adequada em casa. De acordo com uma matéria da Folha de S. Paulo, 70 milhões de brasileiros têm um acesso precário à rede.

Isso, obviamente, dificulta o desempenho escolar de alguns alunos. Com o objetivo de amenizar esse problema, criamos o “Car Working” para os estudantes utilizarem, dentro de seus veículos, o nosso Wi-Fi no estacionamento da instituição.

Só que nos deparamos com outra questão: “E quem não possui automóvel? Como terá acesso ao nosso Wi-Fi de alta velocidade?”. Foi, então, que parte de nossa equipe, liderada pelo diretor de Infraestrutura e Operacional Miguel Sanchez, deu mais um passo para ampliar a democratização do ensino aos estudantes do Eniac.

Fechamos parceria com uma operadora de telefonia para distribuir, a princípio, 350 chips gratuitos, com 6 GB de dados, aos alunos que possuem dificuldades de acesso à internet usarem em seus celulares e tablets. A nossa ideia é que o estudante, ao usar esses chips, possa baixar todas suas atividades e todos os seus conteúdos mensais para uso posterior – a uma velocidade de 50 Mbps para download e 10 Mbps para upload.

O acordo com a operadora não limita a quantidade de chips que ficará à disposição dos nossos estudantes. Além disso, temos conversas bem avançadas com outra operadora – para ampliar ainda mais a distribuição.

Outro fato interessante dessa parceria é que os produtos são “triplo corte”, ou seja, não importa qual seja o modelo do aparelho. Basta destacar o chip no tamanho adequado ao encaixe do celular ou tablet.

O primeiro lote deve estar disponível aos nossos estudantes no começo de junho. Iremos realizar as entregas aos sábados, por meio da estrutura drive-thru já pronta no Campus Centro. Para retirar o chip, basta que os alunos, regularmente matriculados, apresentem seus registros acadêmicos e assumam um acordo de sessão trocando as apostilas físicas pelo chip. Com essa ação, todos os estudantes poderão acompanhar as atividades e os conteúdos, sem nenhum prejuízo. Mais uma vez, o Eniac mostrou o porquê é diferente e se preocupou em democratizar o ensino, mesmo com todas as dificuldades impostas pela pandemia.

Renato Silva

Por: Renato Silva

Publicado em: 22 de maio de 2020

Categorias: Unknown.